Buscar
  • Gio Santos

Inteligência emocional aplicada no “novo normal”

Atualizado: 22 de Dez de 2020

A quarentena social contra o Coronavírus tem potencializado as nossas emoções, exigindo mais atenção com os relacionamentos. Até que ponto você se reconhece? Neste artigo abordo as cinco habilidades essenciais para uma boa gestão das emoções, que passam pelo autoconhecimento e a empatia (colocar-se no lugar dos outros), entre outras, tão fundamentais no nosso dia a dia.


Seja para ter o emprego dos sonhos, ser gestor de uma boa empresa ou relacionar-se bem com familiares, amigos e vizinhos, a inteligência emocional é essencial para a conquista do sucesso e o equilíbrio na vida. Neste período de quarentena social contra o Coronavírus, as nossas emoções estão potencializadas, exigindo ainda mais atenção ao tema.


No livro “Inteligência Emocional”, o jornalista e psicólogo Daniel Goleman, conceitua o termo como “a capacidade que um indivíduo tem de identificar os seus próprios sentimentos e os dos outros, de se motivar e de gerir bem as emoções internas e os relacionamentos.”

A mudança brusca de agenda e, consequentemente, de rotina tem trazido reflexos para o nosso emocional. Há um forte movimento da sociedade que indica que é preciso mudar, buscando novas alternativas para ser mais produtivo, aprender coisas novas e evoluir nos campos pessoal e profissional.

Seja qual for a sua crença ou posicionamento sobre a Covid-19, é necessário saber lidar com o desconhecido, que gera uma situação que tem se alterado à medida que a doença se alastra pelo país. Você tem conseguido administrar esta pressão externa, que também mexe com o nosso interno?

Goleman indica que o autocontrole é fundamental para o desenvolvimento da inteligência nas emoções de cada um. Independentemente de temperamento, as pessoas devem se autoconhecer para lidarem com os descontroles da vida.

Até que ponto você se reconhece? Sabe quais são os seus pontos fortes e fracos? A descoberta de valores e de um propósito claro ajudam na definição de objetivos, de metas e de ações que, alinhados a uma estratégia, auxiliam na busca de realizações.

Os relacionamentos fazem parte da vida e precisam ser bem administrados. Com mais tempo em casa, há um maior convívio com parentes, somado ao distanciamento de amigos, clientes e parceiros profissionais, por exemplo. Goleman considera que pessoas com qualidades de relacionamento humano, como afabilidade, compreensão e gentileza têm mais chances de alcançar o sucesso.

O PhD na Universidade de Harvard apresenta ainda a Inteligência Emocional em cinco categorias, que passam pela capacidade de reconhecer as próprias emoções e sentimentos (autoconhecimento) e a habilidade de saber lidar com elas (controle). O terceiro ponto se refere à automotivação, capaz de direcionar as emoções para um objetivo ou uma realização pessoal.

Além disso, é preciso olhar para o outro, tendo empatia (colocando-se no lugar dele). Por último, há a habilidade de interação, fazendo-se uso de competências sociais para gerir os sentimentos das outras pessoas. Ela é a base de sustentação do líder, gerando eficiência interpessoal.

Definido o perfil comportamental, é possível trabalhar os pontos fracos, melhorando-os e desenvolvendo as habilidades citadas por Goleman. Respeite o seu tempo na quarentena, refletindo sobre você e onde se quer chegar. Crie novos hábitos, quebrando paradigmas sobre a forma de pensar e de se comportar, em prol de relacionamentos mais saudáveis..

1 visualização0 comentário

Posts recentes

Ver tudo